quinta-feira, 28 de Outubro de 2010

Texto e exercícios sobre Necessidades


Necessidades – noção e classificação
No nosso dia-a-dia lidamos constantemente com sentimentos de carência. Mal acordamos, somos invadidos por um grande número de necessidades, desde as mais básicas, como respirar ou comer, até àquelas mais dispensáveis como ir ao cinema ou comprar um CD. Mas as necessidades das pessoas não são todas iguais e variam em função do momento em que são sentidas.
Uma necessidade é, assim, um estado de carência que ocorre sempre que somos privados de um bem ou serviço de que precisamos. No entanto, o mal-estar gerado pela ausência desses bens ou serviços pode ser suprimido através de actos de consumo.

     Características das necessidades
As necessidades apresentam o seguinte conjunto de características:
     - a) Multiplicidade: as necessidades existem em grande número e são infinitas, reaparecendo, na    maioria das vezes, algum tempo após terem sido satisfeitas. A fome ou a sede constituem bons exemplos, pois, quando comemos ou bebemos o suficiente para ficarmos satisfeitos deixamos de ter sede ou fome durante um certo período, mas ao fim de algum tempo essas necessidades regressam. Além disso, o constante progresso tecnológico facilita o desenvolvimento de novos produtos, bem como, o aperfeiçoamento dos anteriores levando assim ao aparecimento de novas necessidades. A publicidade e a sociedade de consumo em que vivemos também provocam sentimentos de carência, são muitas vezes necessidades artificiais mas que levam as pessoas a praticarem cada vez mais actos de consumo;
 
- b) Saciabilidade: a intensidade com que se sentem as necessidades vai-se reduzindo à medida que estas se vão satisfazendo, acabando eventualmente por desaparecer. Se, por exemplo, quando temos fome, formos comendo alguns alimentos, esta vai diminuindo até ao momento em que nos sentimos totalmente satisfeitos. A saciabilidade está assim associada à possibilidade de se sentirem necessidades com diferentes graus de intensidade, pois existe uma correlação directa entre a quantidade de bens que se vão consumindo e o grau de intensidade com que a necessidade é sentida em cada momento;
 
- c) Hierarquização: as necessidades podem ser ordenadas de acordo com a intensidade com que são sentidas, devendo umas satisfazer-se primeiro que as outras. Conforme vimos anteriormente, a escassez de recursos obriga-nos a estabelecer prioridades e hierarquizar as necessidades. As necessidades relacionadas com a sobrevivência dos indivíduos terão de ser satisfeitas prioritariamente relativamente a outras necessidades que não se considerem tão essenciais;
 
- d) Substituibilidade: esta característica prende-se com a possibilidade de existir mais do que um bem capaz de satisfazer a mesma necessidade, substituindo-se o consumo de um pelo consumo do outro. A título de exemplo, podemos dizer que tanto é possível extinguir a sede bebendo um copo de água como uma limonada.


Tipos de necessidades
As necessidades podem ser classificadas de acordo com diferentes critérios. Os principais critérios de classificação utilizados são quanto à sua importância, ao seu custo e à sua abrangência.

A) O critério da importância está directamente relacionado com a hierarquização das necessidades de acordo com determinadas prioridades. Segundo este critério, as necessidades classificam-se em três categorias:
- primárias: são as necessidades consideradas indispensáveis à sobrevivência do Homem como a alimentação e o vestuário.
 - secundárias: são as necessidades que, embora não se considerem imprescindíveis, são fundamentais para a vida das pessoas, como, por exemplo, a formação.
- terciárias: são as necessidades que se consideram supérfluas e que, normalmente, estão associadas ao consumo de bens de luxo, como o desejo de adquirir uma jóia.

B) Pelo critério do custo, as necessidades classificam-se em função daquilo que é necessário despender para as satisfazer. Assim, dividem-se em:
- económicas: são aquelas necessidades que exigem algum dispêndio de dinheiro ou trabalho, como a aquisição de um automóvel.
- não económicas: são as necessidades que não implicam qualquer dispêndio, pois os bens que as satisfazem existem em quantidade suficiente. A respiração é um exemplo de uma necessidade não económica, pois o ar que respiramos é gratuito.




C) O critério da abrangência diz respeito ao número de pessoas que sentem as necessidades. Segundo este critério, as necessidades dividem-se em duas categorias:
- individuais: são as necessidades vistas de acordo com a individualidade de cada pessoa, com os seus gostos ou interesses particulares. Os indivíduos têm todos gostos diferentes e mesmo que haja necessidades semelhantes, elas são sentidas em momentos diferentes. Umas pessoas precisam de dormir muito e outras pouco, umas apreciam mais a praia e outras o campo, por exemplo.
- colectivas: são as necessidades que resultam da vida em sociedade e que são sentidas em conjunto por todos os indivíduos, como é o caso da necessidade de segurança ou de justiça.

Exercícios sobre Necessidades
1.     Devido ao facto de as necessidades serem saciáveis, a intensidade com que se vão sentindo vai diminuindo à medida que se vão satisfazendo.

1.1. Diga o que entende por necessidade.
1.2. Indique qual a característica das necessidades que é referida na afirmação anterior.
1.3. Apresente as restantes características das necessidades que aprendeu, para além da mencionada.


2.     Classifique, quanto ao custo e quanto à importância, as seguintes necessidades:

2.1. Dormir.
2.2. Comer um gelado.
2.3. Frequentar um curso de formação.
 

Sem comentários:

Enviar um comentário